MOTOMO O FLAGELO DE DEUS PARTE 2

“MOTOMO : O FLAGELO DE DEUS”

Parte 2: “Dor, Lágrimas e Retaliação ”

O Tilo, tem uma irmã mais velha, 6 anos de diferença: a Kátia. Inteligente e um “amorzinho de menina”. Não tinha as malícias da rua, mas algo atraía a atenção dos mano ou dos prreeeibóis: Ela era muito bonita, que apesar do corpinho mignon, sustentava o par de seios mais cobiçados da rua Umuarama, que segundo os assíduos freqüentadores do bar do Messias e do Luizão: “não eram grandes, nem pequenos, eram perfeitos. A única coisa que o seu Rafael fez de bom de nessa vida maledeta” (ela se casou ano passado e continua iguauzinha).
Os primos do Tilo: o Celão e o Marcão, que são irmãos, são 10 anos mais velhos que o priminho. Esses dois, além de extremamente engraçados, são fãs de música pop, mas tem uma preferência por aquilo que eu ouviria como sinônimo de heavy, e thrash metal: “curtir um som”. O que essas pessoas tem haver com o Motomo? Tudo. A família do Tilo, Conseqüentemente a Kátia e a família do Celão e do Marcão moram na mesmo lote, porém em casas diferentes. Uma prática normal em famílias de procedência européia, especificamente a italiana. O lote do Tilo é de frente da casa do Motomo, que ia visitar os irmãos Celão e Marcão para trocar idéias sobre músicas, darem risadas juntos e aproveitava para ver a Kátia e seus… hã… Sua. Envergadura moral. Resumindo: o Tilo conhecia o capeta.

A Molecada se encontrava na esquina da rua Barra do Campo com a Umuarama. O assunto do Domingo de manhã era: o que era aquilo?

Silêncio.

Tilão mais uma vez: Ele mora em frente de casa. Dizem que ele repetiu o ano na República (República do Paraguai: escola estadual da Vila Prudente).
Issao: E daí?
Tilão: Ele repetiu o ano, pois foi expulso por brigar com um cara da sala. O irmão mais velho do moleque entrou na briga. O Motomo bateu nos dois. O pai dele é investigado da polícia. Quando soube, deu uma pisa no Motomo que ele nunca mais ficou o mesmo. O que já era assustado, virou…
Ahhh!!!! Não sei!!! Depois ele entrou no exército e aí… Fodeu. E ele se transformou naquilo que vocês viram ontem.

“Tilo! Seus primos estão em casa”
Era ele. Ninguém se mexeu. “E agora?” Era o que todos pensavam naquele instante. Nem reparei se ele estava de coturno, sem coturno, com camiseta do capeta (iron maiden- the number of the beast), só queria ir embora de qualquer jeito.

“Não, eles foram à feira, daqui a pouco eles voltam”.
O Tilo cometeu o maior erro de sua infância ao pronunciar essa frase

MOTOMO: Então vou ficar esperando aqui.

“Deus nos ajude” era o que estava estampado no rosto de cada um.

MOTOMO: Caralho! Nem cumprimentei você

O Motomo estendeu a mão para o Tilo. Tudo bem. Depois foi pegando a seqüência. Cumprimentou-me até chegar no Coquinho (filho de retirantes, que morava no cortição ao lado da Barbearia do seu Alcides).

Motomo: Ô MOLEQUE!!!!! O QUE FOI??!!!!?!!!!!!!!

Senhores, acaba de ser inaugurado oficialmente a era “MOTOMO:O FLAGELO DE DEU”, que foi inaugurado oficialmente nesse episódio: Janeiro de 1990.

Continuando:

Coquinho: …
O coitado do coquinho não conseguia nem respira, quanto mais chorar. O Motomo ainda estava com a mão segurando a mão cadavérica do moleque.

MOTOMO: VAI, CARALHO!!!!! PORQUE VOCÊ NÃO OLHA PRA MIM PORRRRRAAAA!!!!! VOCÊ PENSA QUE EU SOU LEPROSO???!!!???? RESPONDE POOORRRAAAAAAA!!!!!
Coquinho: Não.
MOTOMO: ENTÃO PORQUE VOCÊ NÃO OLHOU PRA MIM CARALHO??!!!??? VAIII RRRESSSSPPPONNNNDEEEE, MOOOLEEEEQUEEE!!!!!
Coquinho: …
O coitado do Coquinho começou a chorar. Não expressava nenhuma expressão, só o pavor estampado em seus olhos que brotavam lágrimas. O danado nem piscava. Parecia um cadáver chorando. A gente ali, impotente, um bando de covardes, mas não era um apenas um cara mais velho era… O MOTOMO.
MOTOMO: PARADE CHORÁÁ MOLEQUEEEE!!!!!
O Coquinho passou a mão esquerda no rosto, pois a mão direita ainda se encontrava na mão do Motomo. Mas ele não conseguiu…
MOTOMO: QUAL O SEU NOME MOLEQUE?
Coquinho: noonononononnoono
MOTOMO: O QUÊ? SE TÁ TIRANDO COMIGO MOLEQUE?
O Coquinho não conseguiu agregar forças para pronunciar sequer o seu nome.
MOTOMO: PARA DE CHORAR CARALHO… PÁÁRAAA DE CHORAR MMMOOOOLLLLEEEEQUEEEE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Os passarinhos que estavam na árvore perto da gente, fugiram. O cachorro do “Mixirica” (um catador de papelão da rua) o “Araquém”, que estava do nosso lado, deu no pinote. A voz do Motomo reverberou mais alto que os gritos conjugados dos feirates.
O Coquinho ficou com os olhos esbugalhados, estava parecendo um boneco de cera. Ficou em estado de choque. Bom, ao menos parou de chorar. Os demais, incluindo eu, estávamos parecidos como aqueles bonecos do Kraftwerk.

MOTOMO: VAI MOLEQUE, QUAL O SEU NOME!
Coquinho: … Marcelo …
MOTOMO: CARALHO TILO, PARA DE ANDAR COM ESSE LIXO.
O Tilo fez um tímido sinal de positivo com a cabeça enquanto o Josué estava subindo a rua.
Ele viu o MOTOMO. Acredito que pensou em voltar, mas a galera tava lá. Qual o problema? Foi. Esse foi o primeiro grande erro do Josué em toda a sua vida.
Ao se aproximar, notou que o clima estava muito pesado. Tanto que nem cumprimentou ninguém. Sentou do lado do André, que estava no canto e foi aí que:

MOTOMO: E AÍ MOLEQUE. NÃO VAI CUMPRIMENTAR OS CAMARADA NÃO?
O Josué ao invés de cumprimentar todo mundo, cumprimentou apenas o MOTOMO. Nem se deu conta disso, ficou ansioso e se fodeu. Se fodeu grande.
O Josué era o regime do Cazuza, tanto que depois seu apelido iria ser “ZuZa”. O Cara era muito magro. A mão do MOTOMO cobriu a mão do Josué, Omo se fosse uma caneta.

MOTOMO: ÔÔÔ MOLEQUE, TU É TRAÍRA PRA CACETE HEIM? NEM CUMPRIMENTOU OS CAMARADA. VOCÊ ME CONHECE?
Josué: … errr… pelo Tilo…
MOTOMO: O QUE VOCÊ TEM FALADO DE MIM POR AÍ?
TILO: Teve um dia que você passou na rua e aí eu falei que você era o Motomo e… só…
MOTOMO: QUER DIZER, QUE ALÉM DE SABER SÓ O MEU NOME, VOCÊ É TRAÍRA E CAGÜETA DOS CAMARADA. MOLEQUE… VOCÊ TÁ FUDIDO COMIGO.
Motomo escolheu a sua vítima favorita. O Josué também começou a chorar, mas ao contrário do Coquinho, fez feio. Deu aquele famoso “BUUÁÁÁÁ”, irritando muito o MOTOMO.

MOTOMO: PARA DE CHORAR FILHA DA PUTA!!!!! VAI MOLEQUE, CHEGA!!!! NÃO VAI PARA NÃO É? OLHE PARA O CÉU E SORRRIA MOLEQUE!!!! (sem musiquinha)
JOSUÉ: Hããã?
O Motomo começou a apertar, ou melhor, a esmagar a mão do Josué ao mesmo tempo em que pedia para ele “olhar para o céu e sorrir”.
MOTOMO: VAI MOOOLLEEEQUEEE, OLHE PAA O CÉU E SORRIA, FILHO DA PUTA!!!
O coitado realmente olhou para o céu, mas com um olhar de judeu em Auschwitz, escorrendo uma catarata de lágrimas e com um sorriso que parecia uma careta do Jack Nicholson no Iluminado.

E aí, o Josué disse algo que mudaria para sempre sua vida:

“Motomo, pelo amor de Deus …”

O MOTOMO larga a mão do Josué, como se ele estivesse contaminado com o vírus Ébola.

MOTOMO: DEUS? DEUS?!? O QUE VOCÊ DISSE MOLEQUE??!!!??!!! DDDEEEEUUUUSSSS???!!!!???
Josué: ?????????????????????????

Silêncio

MOTOMO: CINCO VOLTAS NO QUARTEIRÃO DA UMUARAMA COM A JOSÉ ZAPPI (até hoje, não conheço quarteirão maior do que esse na Vila Prudente).
Josué (chorando e com a mão direita destruída): Mas hoje tem feira…
MOTOMO: É MESMO? ENTÃO SÃO SETE VOLTAS.
Josué: … ?????? …
MOTOMO: VAI AGORA MOLEQUE: 1,2,3, VAI!!!! CORRE MALDITO!!!!!

Enquanto o Josué descia correndo a rua chorando, o Celão e o Marcão estavam subindo a rua. O MOTOMO foi a direção aos caras e ficaram do outro lado da rua trocando idéia. Depois de uns minutos o Josué passou correndo. Esqueci de um detalhe: o disgramado estava de chinelo “Samoa”. Um calçado nada aconselhável para quem vai correr.

MOTOMO: VAI MOLEQUE!!!! TÁ MUITO DEVAGAR!!!!! TEM QUE ABAIXAR O TEMPO DESSA PORRA!!!!

O Celão e o Marcão não entenderam nada. Quando o MOTOMO acabou de explicar o que estava acontecendo, ficaram os três dando risada, melhor: gargalhadas. O Marcão até sentou na calçada. E a gente? Bom, o Josué era o prrreibóizinho que andava com a gente, e dava umas mancadas fortes. Na sexta vez que ele passou correndo, com os chinelos entre os dedos da mão e chorando: Ahhh, meu amigo, não deu outra. Nem precisamos falar ou olhar pra cara um do outro, começamos a dar “aquela risada gostosa”, compartilhada, de deixar os olhos úmidos e o diafragma cansado. Só teve um problema: o MOTOMO ouviu.

MOTOMO: TÃO RINDO DO QUÊ CARALHO!!! VAI, TODO MUNDO, CORRENDO JUNTO COM AQUELE LIXO!!!
Começamos a correr na hora. O Tilo deu uma olhada para os primos, mas só conseguiu isso:
MARCÃO: Vai Tilo, corre logo caralho!!!
E desataram a rir. Eles tomaram posse da tal “risada gostosa”
Ao menos corremos apenas 1 volta, enquanto o Josué deu 7 apoteóticas voltas no maior quarteirão da Vila Prudente.

Chegamos bem antes do Josué, pois o coitado estava em frangalhos. Quando ele chegou, a sola do pé do cara, estava cheirando a feira. Correu descalço.
MOTOMO: MOLEQUE, VAI EMBORA AGORA!!!!!!!! CÊ TÁ FEDENDO DEMAIS. SOME DAQUI!!!! SOME DAQUI C O R R E N D O !!!!!

O Josué foi, mas esqueceu de cumprimenta os camarada e… …o MOTOMO.

MOTOMO: AVISA EQUELE MOLEQUE, QUE ELE JÁ TÁ FUDIDO COMIGO. NO SÁBADO ÀS 2:30, EU VOU ESTAR AQUI ESPERANDO ELE. SE ELE ATRASAR, OU PIOR ELE FALTAR, EU VOU CAÇAR AQUELE MOLEQUE.

Foi a manhã mais longa de nossas vidas. Mais longa ainda, para o coitado do Coquinho. Agora, para o Josué, essa manhã de Domingo foi a mais longa de toda a descendência de sua família.

3 Respostas to “MOTOMO O FLAGELO DE DEUS PARTE 2”

  1. Camila Says:

    Caracoles!!
    Que medo desse Motomo!!!!
    Estou ansiosa pela parte 3!
    Beijosss…

  2. fabrício Says:

    hahahahahaha

  3. Camila Says:

    Cadê a parte 3 Issao?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: